A INVISIBILIDADE ESTRUTURANTE DO DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO EM PORTUGAL

A descoberta da diferença no «outro», processo que designamos por alteridade, gerou uma cartografia de olhares de desconforto e rejeição pelas práticas culturais diferentes. Os romanos chamaram “bárbaros” a todos os povos cujos atavismos culturais não eram semelhantes aos seus, e no quadro já do Ocidente cristão todos os sistemas religiosos fora daquele universo referencial, de matriz judaica, foram classificados como “pagãos”. À luz dos primeiros passos da ciência...

A “RAÇA”, UM CONCEITO PENSADO E BENZIDO COM TERMOS DO OCIDENTE

Quando se debate o racismo, tendencialmente invoca-se uma ideia de “racismo invertido” ou “reverso” como tentativa de amenizar a longa história de opressão racial por parte do Ocidente. O problema desta ideia universalista do racismo como aspeto intrinsecamente humano reside na história da fundação do racismo. Desde os séculos XV e XVI que a cartografia europeia, dialogante com a teologia cristã, localizou o Inferno no continente africano: marcada...

DEMOCRACIA RACIAL NUM PAÍS MAL-RESOLVIDO

Vivemos um tempo em que os efeitos negativos da globalização se fazem sentir. A fatura dos ciclos económicos, dos fluxos migratórios, e da glorificação do mercado por si mesmo, chegou finalmente. Os chamados “descamisados da globalização”, franjas sociais que na história recente se viram acomodadas e silenciosas, começaram a verbalizar o seu mal-estar e, num contexto de crise de representação por parte dos partidos políticos mainstream, aderem a movimentos extremistas...

BRASIL: A LIBERDADE RELIGIOSA E O RETROCESSO CIVILIZACIONAL

A história do Brasil fez do país uma manta de retalhos étnico-culturais, produzindo uma sociedade cujas particularidades foram essenciais para a construção da Democracia Racial, um mito edificado a partir da crença de que a miscigenação constituiria uma “saída limpa” para o problema das tensões étnico-raciais do país. Tal facto nunca sucedeu, embora tenha permitido, no coração da diplomacia brasileira, posicionar o país como detentor de um soft...

O RACISMO INVERTIDO E A ‘FEITIÇARIA’: HISTÓRIAS AFRICANAS PARA ADULTOS

A década dos afrodescendentes (2015-2024) é oportunidade para variadas reflexões, com enfoque particular aos processos de adaptação social, cultural e económica dos (classificados étnico-racialmente como) afrodescendentes nas sociedades ocidentais. Recentes investigações, como a de Joana Gorjão Henriques, vêm desmontando décadas de superficiais postulados em relação, por exemplo, à sociedade portuguesa, mergulhada no doce bálsamo da ausência de racismo. Outros autores mostram como ser-se cristão, branco e falar português são indicadores...

Back to Top
error: Content is protected !!