O PERIGO DO “ANDA TUDO A GAMAR”

“É por isso que o “anda tudo a gamar” é a ideia mais perigosa em vigência na opinião pública, porque ela é um chamamento à legitimação do autoritarismo. “ Das narrativas e afirmações mais perigosas que conhecemos de André Ventura – e conhecemos-lhe várias, entre elas a de mandar para a sua terra pessoas com cidadania portuguesa, afirmando uma distinção com base na cor da pele, veiculando, assim,...

A CRISTOFOBIA DE BOLSONARO: O PERIGO DE UMA AGENDA POLÍTICA TEOCÊNTRICA

É uma estratégia eleitoral que permitirá a Bolsonaro reeleger-se em 2022. Mas é, também, mais do que isso. É o traçar de uma fronteira social cada vez mais profunda. Discursando na abertura da 75ª edição da Assembleia Geral das Nações Unidas, Jair Messias Bolsonaro, presidente brasileiro, procurou chamar à atenção para aquilo que ele acredita ser um fenómeno em crescendo: o da cristofobia. Apesar das perseguições aos cristãos...

EUTANÁSIA NA ENCRUZILHADA ENTRE SECULARIZAÇÃO E MORAL RELIGIOSA

A discussão sobre a eutanásia resume-se, por um lado, em colocá-la numa circunstância de eutanásia versus cuidados paliativos, sendo que não são soluções excludentes e, por outro, confundir direito à vida com obrigação de estar vivo. Neste assunto, é o debate entre moral religiosa e ética secular que traça as fronteiras. O debate em torno da Eutanásia reacende-se por estes dias, e com ele a sociedade portuguesa retorna...

OS CENSOS ÉTNICOS E O RACISMO QUE NÃO EXISTE

Quando se silencia a questão étnico-racial dos censos (e o mesmo pode ser estendido, por exemplo, à questão da “orientação sexual”) o que se está a fazer é perpetuar a memória social instituída em torno de uma tipologia social imaginada. As justificações apresentadas pelo INE para o chumbo à introdução da questão étnico-racial nos Censos de 2021 são tecnicamente aceitáveis, mas não traduzem o principal problema de fundo:...

DEMOCRACIA RACIAL E OUTRAS “ESTÓRIAS” QUE O BRASIL GOSTA DE CONTAR A SI MESMO

Em rigor, o Brasil não só não superou a questão racial, como jamais superou a escravatura, simplesmente transformando a condição de escravo na condição da segregação racial. O caso brasileiro, com a eleição de Bolsonaro, de que pretendo falar, comporta uma dimensão de transformação ideológica e social tremenda, nem sempre devidamente alcançado pela imprensa e comentadores políticos. Se na Europa e Estados Unidos, com a crise económica de...

Back to Top
error: Content is protected !!