Comunicações

2018 — O problema de definir religião em contexto africano: uma aproximação a partir dos casos yorùbá e fon, Workshop «O Estudo das Religiões em Africa – Questionamentos conceptuais, desafios metodológicos».

2017 — O passado composto no Candomblé da Bahia – o “antigamente” como lugar de memória e aporte político, II Congresso Lusófono de Ciência das Religiões.

2016 — “Alôxê mi, Agué mirô”. Hibridismo e invenção da tradição no candomblé do Engenho Velho,  II Colóquio Doutoral ISCTE-IUL.

2016 — Nostalgia, Reafricanização e Estética o que diz o povo de santo de Salvador e Uberaba, Pensar África. /link

2015 — “Ifánização ou para além da eficácia ritual: A construção da teologia entre os Yorùbá e no Candomblé jeje-nagô, Congresso Lusófono de Ciência das Religiões.

2015 — “Candomblé é a África”. Esquecimento e Utopia no candomblé jeje-nagô, International Conference Transcultural Amnesia: Mapping Displaced Memories.

2015 — “O que não se altera pode ser alterado: a predestinação na África Yorùbá e nas religiões afro-brasileiras”, workshop «Entre o destino e a liberdade: o percurso histórico do problema da predestinação».

2014 — “Entre as águas sagradas de Yemonjá e as do cais da Bahia: Ressonâncias topoanalíticas em Mar Morto”, 2ª JORNADA INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE O ESPAÇO LITERÁRIO (JOEEL).

2014 — “Religiões Afro-Brasileiras e Luso-Africanismo: Permanências e deslocamentos no imaginário religioso português”, Congresso Portugiesische Identitäte: Positionen und Visionen.

2013 — “Em Roma sê romano“: O candomblé como adaptação criativa e hibridismo nas origens e no século XXI: Bahia, Lisboa e Berlim, Simpósio Religion und soziokultureller Wandel in der lusophonen Welt.

2013 — “Vou fazer minha obrigação” – Tradição, Dever e Fazer em contexto Yorùbá e no Candomblé de matriz Jeje-NagôColóquio “O que é religião em África? Identidade, Pertença e Prática Ritual”.

2012 — “Orixás de Amado: o imaginário africano em Jubiabá.”, Colóquio Internacional 100 anos de Jorge Amado. O Escritor, Portugal e o Neorrealismo

2011 — Adés: homossexualidade como operadora de mudança no Candomblé,Colóquio “Homossexualidade e Religião: tensões e inclusão, o case-study do Candomblé”.